Colômbia
Feature

Como e onde as empresas de telecomunicações colombianas estão investindo

Bnamericas Publicado: quarta-feira, 28 dezembro, 2022
Como e onde as empresas de telecomunicações colombianas estão investindo

Embora as estratégias e prioridades de investimento variem entre as empresas de telecomunicações na Colômbia, juntas elas investiram 6,8 trilhões de pesos (US$ 1,43 bilhão) no ano passado, um aumento de 18,3% em relação ao ano anterior.

Os números foram publicados no relatório de investimentos de 2021 recém-divulgado pelo regulador CRC.

A Claro foi responsável por quase metade de todos os investimentos em telecomunicações no ano passado, seguida pela Tigo (17,8%), Telefónica (11,1%) e WOM (10,4%), sendo que esta última dobrou sua participação no total de investimentos em relação a 2020.

Espera-se que os gastos aumentem novamente em dois dígitos este ano e em 2023.

CLARO

Principal operadora de telecomunicações da Colômbia, a Claro, da América Móvil, anunciou em junho investimentos de US$ 200 milhões com foco em soluções digitais para o segmento B2B, conexão de 20 localidades com fibra ótica e parceria de datacenter/nuvem com a Oracle.

Do total, US$ 150 milhões foram destinados ao portfólio de soluções digitais e US$ 25 milhões à expansão de fibra ótica. Foram planejados US$ 25 milhões para renovar a infraestrutura do datacenter Triara, que hospedará os serviços em nuvem da Oracle. O acordo também inclui a migração de mais de 100 servidores locais para processos críticos como faturamento da Claro para a infraestrutura de nuvem da Oracle.

A Claro Colômbia anunciou no início deste mês a extensão de sua rede de fibra até a casa (FTTH) para as localidades de Pitalito, Aguachica e Gachancipa nos departamentos de Huila, Cesar e Cundinamarca. A implantação abrange cerca de 24 mil casas e empresas em Pitalito, 11 mil em Aguachica e 4.300 em Gachancipa.

A Colômbia é a terceira maior operação da América Móvil depois do Brasil e do México, com 36,8 milhões de assinantes móveis no final de setembro, um aumento de 7,2% em relação ao ano anterior, e 9,18 milhões de assinantes de telefonia fixa, um aumento de 4,5%.

A operação colombiana registrou no terceiro trimestre o melhor crescimento de receita de serviço móvel em cinco trimestres, alta de 3%, segundo a América Móvil.

Também adicionou 29 mil assinaturas de TV por assinatura, 60 mil telefones fixos e 20 mil conexões de banda larga.

TELEFÓNICA

A Telefónica está enfatizando a implantação de banda larga de fibra, principalmente por meio de seu parceiro de investimentos, o fundo norte-americano KKR, com quem opera a rede de fibra neutra On Net.

Por meio da KKR, a Coltel, subsidiária local da Telefónica, está implantando fibra a uma taxa de cerca de 130 mil casas por mês, disse à BNamericas José Juan Haro, diretor de relações públicas e negócios de atacado da Telefónica Hispam.

De acordo com Haro, dado o tamanho do país, o plano “é um pouco mais ambicioso” do que no Chile, onde a empresa e a KKR operam igualmente uma On Net Fiber joint venture separada.

A On Net Fibra Colômbia iniciou suas operações em janeiro com 1,2 milhão de casas passadas com fibra, herdadas pela Telefónica.

A meta inicial era crescer a uma taxa de cerca de 1,1 milhão de casas passadas por ano, chegando a 2,3 milhões de casas em 2022 e 4,3 milhões em 2024 – e abrangendo 90 localidades, como relatou a CEO Ximena Mora Méndez à BNamericas, em abril.

Mora Méndez disse que a On Net espera investir na Colômbia 850 bilhões de pesos em implantação de infraestrutura.

A Fitch Ratings estima que a Telefónica Colômbia migrará sua atual base de clientes de cobre para fibra dentro de três ou quatro anos. A agência também espera uma taxa de capex para receita de 10% a 13%, que inclui renovações de pagamento de espectro durante o período.

“A Coltel mostrou um desempenho operacional relativamente estável nos últimos três anos. As receitas e assinantes cresceram consistentemente nos segmentos fixo e móvel, ajudando a compensar o enfraquecimento da lucratividade resultante de um declínio contínuo na receita média móvel por usuário (ARPU) e custos diretos e despesas mais altas com transações”, informou a Fitch Ratings em um relatório, na semana passada.

A agência projeta que a dívida líquida da Coltel será de 3,3 trilhões de pesos no final de 2022, aproximadamente em linha com a dívida que a empresa tinha no final de 2019.

No móvel, espera-se que o mercado continue sob significativa pressão de preços, já que a WOM busca se tornar um grande player e as operadoras incumbentes aumentam ou mantêm promoções ou, em alguns casos, reduzem preços enquanto uma parte dos clientes migra para planos de preços mais baixos.

A Coltel é a segunda operadora móvel da Colômbia, atrás da Claro Colômbia, e a terceira em internet banda larga.

A Fitch projeta que a receita total crescerá para 7,2 trilhões de pesos em 2024, de 5,8 trilhões de pesos em 2021.

TIGO

O grupo de telecomunicações Millicom, com sede em Luxemburgo, que opera sob a marca Tigo na América Latina, está investindo, entre outros, em uma rede de fibra terrestre entre a Colômbia e o Brasil, passando pelo Chile, Argentina, Bolívia e Paraguai.

“Concluiremos [este ano] nosso projeto de conectividade de fibra da Bolívia ao Paraguai. Como resultado, a nossa será a única conexão de fibra entre os dois oceanos através das rotas terrestres existentes”, disse Mauricio Ramos, CEO da Millicom, a investidores na teleconferência do terceiro trimestre.

A Tigo é a segunda maior provedora de internet banda larga, TV por assinatura e telefonia fixa da Colômbia, e a terceira maior provedora de serviços móveis em número de assinantes.

A Tigo Colômbia anunciou em julho que estava entrando no mercado de banda larga fixa de Bogotá usando fibra ótica implantada pela Ufinet e pela ETB.

O acordo para Bogotá é fundamental, pois representa um aumento de mais de 20% na cobertura em termos de serviços residenciais, além de dar uma maior presença na maior cidade do país.

A rede da Ufinet em Bogotá deve atingir 320 mil casas este ano. Enquanto isso, a ETB tem cerca de 1,5 milhão de casas passadas com fibra ótica, que serão adicionadas à oferta da Tigo.

A Fitch projeta 100 casas a 160 mil casas incrementais passadas pela Tigo a cada ano até 2024.

No mobile, a Tigo Colômbia concluiu recentemente o desligamento de sua rede 2G, o que a tornou a primeira operadora da América do Sul a fazê-lo, com o refarming (migração) do espectro para redes 4G.

“A prioridade da Tigo, trabalhando em conjunto com o governo, é acabar com a pobreza digital. O que faremos com o novo governo é focar no 4G”, disse o presidente da Tigo Colômbia, Marcelo Cataldo, em novembro, em um evento em Bogotá.

Na ocasião, ele reclamou do que considerava alto custos de espectro.

A Tigo investiu US$ 7 bilhões nos últimos sete anos em 4G e investirá outros US$ 3 bilhões acertados no último leilão de espectro, que foi em 2019.

A Colômbia deve realizar leilão de 5G no próximo ano, portanto, a questão dos preços é crucial para as empresas de telecomunicações. Além disso, espera-se que em 2023 as empresas de telecomunicações locais renovem suas licenças de espectro existentes.

A empresa está projetada para investir 1,1 trilhão de pesos por ano, em cerca de 21% das receitas, com 2023 esperado para ser relativamente maior devido às renovações do espectro.

No terceiro trimestre, o capex consolidado do grupo foi de US$ 298 milhões, acima dos US$ 253 milhões no terceiro trimestre de 2021. O capex do ano até setembro totalizou US$ 868 milhões, acima dos US$ 548 milhões do mesmo período do ano anterior.

WOM

A mais nova das empresas de telecomunicações do país, com lançamento previsto para abril de 2021, a WOM tinha como meta atingir 25% do mercado em cinco anos.

Em setembro, a empresa tinha cerca de 3,4% (ou 2,67 milhões de acessos) do mercado, empatada com a MVNO Virgin Mobile, segundo dados mais recentes do regulador CRC.

A WOM havia se comprometido a investir US$ 1 bilhão em quatro anos, mas desde o início de suas operações já gastou mais de US$ 800 milhões.

Em agosto passado, a empresa obteve aprovação total para a fusão por absorção da Avantel da Superintendência de Sociedades, órgão regulador antitruste. Como resultado, Avantel deixou oficialmente de existir.

Um dos focos da empresa é consolidar os dois negócios em uma única rede, mais o parque de antenas, back-office e operação de gerenciamento de rede, bem como bandas de espectro.

A WOM também está interessada no leilão 5G, embora os executivos afirmem que bandas importantes do espectro 4G também estão disponíveis para leilão.

Assine a plataforma de inteligência de negócios mais confiável da América Latina. Deixe-nos mostrar nossas soluções para Fornecedores, Empreiteiros, Operadores, Governo, Jurídico, Financeiro e Seguros.

Assine a plataforma de inteligência de negócios mais confiável da América Latina.

Outros projetos em: TIC

Tenha informações cruciais sobre milhares de TIC projetos na América Latina: em que etapas estão, capex, empresas relacionadas, contatos e mais.

Outras companhias em: TIC (Colômbia)

Tenha informações cruciais sobre milhares de TIC companhias na América Latina: seus projetos, contatos, acionistas, notícias relacionadas e muito mais.

  • Companhia: Cotel S.A.S.  (Cotel)
  • A descrição contida neste perfil foi retirada diretamente de uma fonte oficial e não foi editada ou modificada pelos pesquisadores do BNamericas, mas pode ter sido traduzida aut...
  • Companhia: InterNexa S.A.
  • Internexa é uma empresa colombiana que se dedica ao negócio de transportadoras e ao setor de energia. Possui cerca de 49.000 km de rede de fibra ótica na América Latina. Atende ...