Brasil
Notícias

De olho nos setores brasileiros de energia, petróleo e gás

Bnamericas Publicado: sexta-feira, 18 novembro, 2022
De olho nos setores brasileiros de energia, petróleo e gás

A Petrobras decidiu encerrar o processo de venda da refinaria Gabriel Passos (Regap, na foto), em Minas Gerais.

A decisão foi tomada depois que a estatal recebeu uma oferta vinculante considerada abaixo de sua avaliação econômico-financeira.

A Petrobras informou em nota que avaliará o momento adequado para iniciar um novo processo competitivo.

No entanto, novos desinvestimentos no refino são improváveis, já que o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, que toma posse em 1º de janeiro, é contra a privatização das refinarias da empresa.

***

A produção média de petróleo sob o modelo de compartilhamento de produção foi de 668 mil b/d (barris por dia) em setembro, de acordo com a Pré-Sal Petróleo (PPSA).

A produção caiu cerca de 7% em relação a agosto, principalmente devido a uma parada programada no FPSO Pioneiro de Libra.

Seis contratos estão atualmente em produção, dos quais Búzios é responsável por 396 mil b/d, seguido por Sépia (101 mil b/d), Libra (83 mil b/d), Atapu (77 mil b/d), Entorno de Sapinhoá (7 mil b/d) e Sudoeste de Tartaruga Verde (4 mil b/d).

A produção média de gás natural para uso comercial em setembro foi de 2,6 MMm³/d (milhões de metros cúbicos por dia) em três contratos, sendo 2,4 MMm³/d de Búzios, 180 mil m³/d de Entorno de Sapinhoá e 29 mil m³/d de Sudoeste de Tartaruga Verde.

O total é 22% superior ao de agosto, devido principalmente ao aumento da produção de Búzios.

***

A Enauta produziu 20,3 mil boe/d (barris de óleo equivalente por dia) em outubro, praticamente o dobro dos 10,4 mil boe/d do mês anterior.

A maior parte de sua produção veio do campo de Atlanta (14,7 mil boe/d), com o restante vindo do campo de Manati (5,6 mil boe/d).

***

O Ministério de Minas e Energia do Brasil (MME) abriu consulta pública para discutir uma proposta de aprimoramento das diretrizes para importação de energia elétrica interruptível, sem reembolso, da Argentina ou do Uruguai.

O Brasil importa energia dos países vizinhos para reduzir custos de ativação de fontes mais caras, como usinas térmicas.

O valor totalizou R$ 3,46 bilhões (atualmente US$ 630 mi) de janeiro de 2019 a fevereiro de 2022.

O objetivo é mitigar as imperfeições do mercado de importação e permitir o uso da importação de eletricidade como recurso energético para atender a carga de ponta definida pelo Operador Nacional da Rede (ONS).

Além disso, as importações poderão ser utilizadas sem a substituição de usinas termelétricas em determinadas situações.

***

A 2W Energia registrou prejuízo líquido de R$ 13,5 milhões no terceiro trimestre, abaixo do prejuízo de R$ 43 milhões do ano anterior.

Segundo Cláudio Ribeiro, presidente da 2W, o resultado foi impactado pelos juros da dívida captada para os projetos da empresa que ainda não geraram caixa.

“Ou seja, na atual fase de investimentos da empresa, em que os parques não estão em operação, temos o ônus da dívida […] registrado neste trimestre”, disse ele à BNamericas.

O CEO afirmou ainda que o terceiro trimestre foi histórico para o Brasil, com a publicação de uma norma do MME que abre caminho para os consumidores das redes de alta tensão optarem por comprar energia no mercado livre a partir de janeiro de 2024.

“Na prática, este é o maior aumento no número de consumidores aptos a migrar para o mercado livre desde a sua criação, permitindo a entrada de um grupo adicional de aproximadamente 106 mil novos consumidores, livres para consumir energia renovável a preços mais baixos”, concluiu Ribeiro.

***

A Prumo Logística e a TotalEnergies assinaram um memorando de entendimento para estudos sobre a instalação de bases de apoio logístico no porto do Açu, visando apoiar os projetos eólicos que forem desenvolvidos pela multinacional francesa no litoral fluminense.

A TotalEnergies irá elaborar por até dois anos estudos de viabilidade para implantação de parques eólicos offshore com até 3 GW de potência.

A intenção é utilizar o porto do Açu como polo logístico em todas as fases do projeto, como base de apoio para as etapas de construção, instalação e operação dos projetos eólicos offshore da TotalEnergies.

***

A estatal mineira de energia Cemig fechou acordo para a venda de 19,6% de sua participação na Ativas Data Center para a Sonda Procwork Informática, que detém os 80,4% restantes da empresa. A transação está avaliada em R$ 60 milhões.

Assine a plataforma de inteligência de negócios mais confiável da América Latina. Deixe-nos mostrar nossas soluções para Fornecedores, Empreiteiros, Operadores, Governo, Jurídico, Financeiro e Seguros.

Assine a plataforma de inteligência de negócios mais confiável da América Latina.

Outros projetos em: Energia Elétrica (Brasil)

Tenha informações cruciais sobre milhares de Energia Elétrica projetos na América Latina: em que etapas estão, capex, empresas relacionadas, contatos e mais.

  • Projeto: Paranaíba 4
  • Estágio atual: Borrado
  • Atualizado: 4 meses atrás
  • Projeto: Paranaíba 2
  • Estágio atual: Borrado
  • Atualizado: 4 meses atrás

Outras companhias em: Energia Elétrica (Brasil)

Tenha informações cruciais sobre milhares de Energia Elétrica companhias na América Latina: seus projetos, contatos, acionistas, notícias relacionadas e muito mais.