Brasil , Canadá , Estados Unidos e México
Notícias

Fundo canadense CDPQ planeja investir até US$ 2 bi na América Latina em 2023

Bnamericas Publicado: terça-feira, 11 outubro, 2022
Fundo canadense CDPQ planeja investir até US$ 2 bi na América Latina em 2023

O fundo de pensão canadense CDPQ está aumentando seus investimentos na América Latina, com planos de alocar até US$ 2 bilhões na região em 2023, buscando diversificar seu portfólio de infraestrutura.

A maior parte dos recursos será para o Brasil. Quanto a novos segmentos, a empresa busca oportunidades em torres de telecomunicações e datacenters, energia (principalmente renováveis), transporte (aeroportos e ferrovias) e, cada vez mais, saneamento, entre outros.

“Estamos constantemente aumentando nossos investimentos na América Latina e no Brasil. Há três anos, não tínhamos nada alocado no Brasil. Hoje temos mais de US$ 5 bilhões no país só em infraestrutura. A tendência é continuar aumentando esse [portfólio] no país e na região, pelo menos até o final da década”, disse à BNamericas Eduardo Farhat, diretor-gerente do CDPQ para o Brasil e vice-presidente de infraestrutura para a América Latina.

De acordo com o executivo, o CDPQ espera impulsionar entre US$ 1 e 2 bilhões em investimentos anuais nos próximos anos na região, impulsionado por oportunidades em uma vasta gama de segmentos de infraestrutura e dependendo “da qualidade das operações e dos marcos regulatórios.”

Em 2021, o fundo investiu US$ 11 bilhões globalmente, segundo Farhat.

O CDPQ foi criado por uma lei aprovada em 1965 pela província de Quebec, com a função inicial de administrar os fundos de um plano de aposentadoria universal recém-criado, o Québec Pension Plan.

Os primeiros investimentos fora do Canadá começaram em 1975 e o CDPQ Infra foi criado em 2015, principalmente para focar no desenho, financiamento, desenvolvimento e operação de projetos de infraestrutura. Quase 70% da carteira está agora fora do Canadá, contra 54% há sete anos.

A empresa possui escritórios em dezenas de países, inclusive em São Paulo e Cidade do México, de onde também administra investimentos em outros mercados latino-americanos. O CDPQ não tem planos para novos escritórios na região, segundo Farhat.

Em 30 de junho, o fundo tinha C$ 392 bilhões (US$ 284 bi) em ativos líquidos globais em seu portfólio, distribuído por mais de 65 países. Desse portfólio total de investimentos, C$ 201 bilhões foram em ações.

A América Latina responde por cerca de 4% do portfólio global do CDPQ, ante 1% em 2015, com cerca de 12% em investimentos em infraestrutura.

INVESTIMENTOS RECENTES

Entre os maiores negócios na região este ano, o CDPQ comprou os ativos de transmissão de energia do grupo italiano Terna no Brasil, Peru e Uruguai por mais de € 265 milhões (US$ 258 mi).

A rede de transmissão recém-construída do Terna na América Latina abrange aproximadamente 1,2 mil quilômetros nos três países. A aquisição marcou a entrada do CDPQ no mercado de transmissão latino-americano.

“Com este primeiro investimento em transmissão de energia no Brasil, Peru e Uruguai, estamos lançando as bases para uma nova plataforma CDPQ dedicada à transmissão de energia na América Latina, com o objetivo de torná-lo um dos players mais relevantes neste setor crítico da economia”, disse na ocasião o chefe de infraestrutura do fundo, Emmanuel Jaclot.

De acordo com Farhat, o CDPQ está olhando particularmente para a expansão na região no segmento de energias renováveis, em linha com a meta global de alcançar um portfólio neutro em carbono até 2050.

No México, Farhat disse que o CDPQ agora possui quase 2 GW em energias renováveis, divididos entre energia eólica e solar.

Na infra de telecomunicações, o CDPQ possui 50% das redes de fibra da Telefônica Brasil, na joint venture de fibra neutra FiBrasil. A participação de 50% da Telefónica é detida por meio da Telefônica Brasil e da Telefónica Infra, o braço de infraestrutura do grupo espanhol Telefónica, cada uma com 25%. Estima-se que o CDPQ pagou cerca de R$ 1,8 bilhão (US$ 345 mi) pela participação.

Até o momento, a FiBrasil revelou publicamente dois grandes contratos para uso da rede de fibra, com a Sky (da Vrio) e o ISP Vero Internet. Farhat não confirmou o número exato de clientes atuais, mas disse que a FiBrasil conta com outros clientes para sua rede.

Ele disse que o CDPQ está muito satisfeito com a parceria com a Telefónica no Brasil e acrescentou que o fundo está em negociações com outros grupos regionais de telecomunicações.

O CDPQ é um investidor regular da Telefónica na Europa, onde também possui ações da American Tower Corporation, maior fornecedora de torres sem fio do mundo.

Além da fibra, Farhat explicou que torres e datacenters são dois segmentos de infraestrutura de telecomunicações nos quais o CDPQ está explorando oportunidades na América Latina, dependendo da economia do mercado.

“O setor de telecomunicações como um todo está cada vez mais orientado para a infraestrutura”, afirmou.

No entanto, segundo o executivo, muitos ativos de torres e datacenters parecem estar supervalorizados, considerando suas características e riscos.

O CDPQ também possui, desde 2019, uma participação de 30% no grupo de infra de telecomunicações norte-americano Vertical Bridge Holdings.

A Vertical Bridge é controlada pelo fundo norte-americano Digital Bridge, que na América Latina possui a Scala Data Centers, as empresas de torres Highline do Brasil, Andean Telecom Partners e Mexico Telecom Partners, além da Mundo, operadora de fibra do Chile.

Outros importantes ativos de infraestrutura no portfólio latino-americano do CDPQ incluem uma participação de 35% na operadora brasileira de gasodutos TAG – em parceria com a Engie – e uma concessão rodoviária no México, com a australiana IFM.

O fundo também possui, por meio da operadora portuária DP World, uma participação de 45% em diversos portos, incluindo um no Chile e outro na República Dominicana.

No México, o CDPQ também fez em 2019 um investimento de US$ 500 milhões na farmacêutica independente Sanfer para apoiar seu crescimento estratégico na América Latina.

Assine a plataforma de inteligência de negócios mais confiável da América Latina. Deixe-nos mostrar nossas soluções para Fornecedores, Empreiteiros, Operadores, Governo, Jurídico, Financeiro e Seguros.

Assine a plataforma de inteligência de negócios mais confiável da América Latina.

Outros projetos em: TIC

Tenha informações cruciais sobre milhares de TIC projetos na América Latina: em que etapas estão, capex, empresas relacionadas, contatos e mais.

Outras companhias em: TIC (Brasil)

Tenha informações cruciais sobre milhares de TIC companhias na América Latina: seus projetos, contatos, acionistas, notícias relacionadas e muito mais.

  • Companhia: Vtex
  • A Vtex, fundada em 1999 no Brasil, fornece às empresas plataformas de comércio em nuvem. Com sede em São Paulo, está presente em 17 países e possui escritórios na América Latina...