Chile
Notícias

Para apoiar a economia do hidrogênio, chilena Enap pode adaptar infraestrutura portuária de Magalhães

Bnamericas Publicado: quinta-feira, 10 novembro, 2022
Para apoiar a economia do hidrogênio, chilena Enap pode adaptar infraestrutura portuária de Magalhães

A empresa estatal chilena de hidrocarbonetos Enap está estudando maneiras de aproveitar a infraestrutura existente – e incorporar novos investimentos – na região de Magalhães, que fica ao sul do país e tem alta incidência de ventos.

Vários projetos em escala de gigawatts voltados principalmente para o mercado de exportação estão planejados para a região árida de Magalhães, onde um grande desafio logístico é levar mercadorias e produtos para dentro e fora da jurisdição isolada.

A Enap assinou 10 memorandos de entendimento vinculados a projetos com capacidade instalada combinada de cerca de 50 GW, disse o diretor de desenvolvimento e inovação da Enap, Juris Agüero, a potenciais investidores e prestadores de serviços holandeses durante um evento comercial na capital Santiago.

Em Magalhães, a Enap possui três terminais marítimos de petróleo, em Cabo Negro, San Gregorio e Clarencia.

O trabalho da Enap faz parte de um foco nacional mais amplo que engloba áreas como turismo, planejamento territorial, desenvolvimento industrial e envolvimento da comunidade.

“Primeiro, estamos analisando o desenho dos projetos e como eles podem usar a infraestrutura existente”, explicou Agüero, referindo-se à questão de minimizar os impactos ambientais por meio de adaptação e reaproveitamento. A próxima fase envolveria a análise de maneiras para integrar a nova infraestrutura.

“Precisamos conversar muito [com os desenvolvedores de projetos]”, afirmou Agüero no evento, organizado pelo órgão de apoio empresarial do governo holandês Netherlands Enterprise Agency em parceria com a agência chilena de promoção comercial ProChile e o Ministério de Energia chileno. “Há muito o que fazer.”

Entre os projetos em fase de concepção e engenharia está o H2 Magallanes, de escala de gigawatts, da Total Eren, planejado para San Gregorio. A iniciativa voltada para a exportação da Total Eren, que aproveita os abundantes recursos eólicos da região, inclui um porto multiúso que é considerado necessário – além das instalações da Enap – para atender às demandas logísticas.

“Para exportar, primeiro temos de importar muitos equipamentos… A Enap tem duas instalações que podem ser modernizadas, e essa é a ideia em um futuro próximo, poder importar por esses portos e poder exportar. Mas 50 GW, não vai dar para importar isso só por esses dois portos”, comentou o diretor geral da Total Eren Chile, Antoine Liane.

E acrescentou: “Nossa percepção é que precisamos de um porto adicional para movimentar equipamentos de importação e exportação de produtos, e por isso estamos desenvolvendo nosso projeto, que contém um terminal multiúso que poderia aliviar os portos existentes da Enap e trabalhar em conjunto com eles para permitir a construção da indústria local e depois exportar para os offtakers, para os mercados europeu e asiático”.

LEIA TAMBÉM: Europa e Chile negociam pacote de apoio de € 217 mi à infraestrutura de hidrogênio verde  
LEIA TAMBÉM: Hidrogênio verde: ministro de Energia do Chile define papel do Estado
LEIA TAMBÉM: De olho na legislação chilena: armazenamento de energia e orçamento do ministério
LEIA TAMBÉM: Como o Banco Europeu de Investimento está ajudando a América Latina a aproveitar seu potencial de hidrogênio verde

Vários projetos, voltados tanto para os mercados de exportação quanto para a demanda local, estão em fase de concepção e engenharia. Os principais desafios incluem a coordenação entre produção e aquisição.

A primeira usina-piloto de hidrogênio verde e combustíveis sintéticos do Chile, Haru Oni, está sendo construída na região de Magalhães, liderada pelo player chileno HIF e com parceiros como a unidade local da italiana Enel.

Entre outros acontecimentos na área de hidrogênio verde, a unidade chilena da empresa de energia norte-americana AES anunciou recentemente a primeira temporada aberta de hidrogênio verde no Chile, vinculada a uma unidade de produção planejada no lugar de uma usina termelétrica na região de Antofagasta e visando offtakers locais. A usina deve ser desativada depois de 2025 como parte de um acordo mais amplo de descarbonização entre geradores e o governo.

No momento, a produção da região de Magalhães será principalmente exportada. No norte ensolarado do país – lar da indústria de mineração e mais próximo dos centros populacionais –, espera-se que os offtakers domésticos representem uma fatia maior.

Para ajudar a apoiar o crescimento de uma indústria exportadora, o Chile assinou memorandos de entendimento com vários portos na Europa, inclusive o maior da Holanda, Roterdã. Autoridades chilenas e holandesas estão trabalhando em iniciativas conjuntas. Espera-se que a Europa produza e importe hidrogênio verde e derivados, à medida que trabalha para descarbonizar sua economia e desenvolver resiliência energética.

LEIA TAMBÉM: Chile e Europa lançam as bases para as exportações de hidrogênio verde

Assine a plataforma de inteligência de negócios mais confiável da América Latina. Deixe-nos mostrar nossas soluções para Fornecedores, Empreiteiros, Operadores, Governo, Jurídico, Financeiro e Seguros.

Assine a plataforma de inteligência de negócios mais confiável da América Latina.

Outros projetos em: Infraestrutura (Chile)

Tenha informações cruciais sobre milhares de Infraestrutura projetos na América Latina: em que etapas estão, capex, empresas relacionadas, contatos e mais.

Outras companhias em: Infraestrutura (Chile)

Tenha informações cruciais sobre milhares de Infraestrutura companhias na América Latina: seus projetos, contatos, acionistas, notícias relacionadas e muito mais.

  • Companhia: Doosan Bobcat Chile S.A.  (Doosan Bobcat Chile)
  • Doosan Bobcat Chile SA, é um fornecedor de máquinas e equipamentos com o objetivo de fornecer soluções para diferentes setores da indústria. Doosan Bobcat Chile SA é parte da Do...
  • Companhia: Resiter S.A.  (Resiter)
  • Resiter está no negócio de gestão de resíduos industriais e tem operações no Chile, Peru e Uruguai. Em breve abrirá escritórios na Colômbia. A empresa oferece uma ampla gama de ...
  • Companhia: Neltume Ports S.A.  (Neltume Ports)
  • A Neltume Ports é uma operadora e desenvolvedora portuária com uma gama diversificada de terminais na América do Sul e está sediada em Santiago, Chile. A empresa possui 16 termi...
  • Companhia: Nexxo S.A.
  • Fundada em 1980, a Nexxo SA é uma empresa de soluções industriais que oferece serviços de limpeza e lavagem química, manutenção de equipamentos e descoqueamento. Em 2013, a Nexx...
  • Companhia: Pöyry Chile Ltda.  (AFRY Chile)
  • AFRY Chile opera como subsidiária da empresa internacional de consultoria e engenharia ÅF Pöyry AB. A empresa atende clientes globalmente nos setores de energia e industrial e f...
  • Companhia: FLSmidth S.A.  (FLSmidth Chile)
  • A FLSmidth SA (FLSmitdth Chile) é a subsidiária chilena da FLSmidth & Co. A / S, fornecedora dinamarquesa de equipamentos e serviços para as indústrias globais de cimento e mine...