Brasil
Análise

Como a vitória de Lula pode impactar os desinvestimentos planejados da Petrobras

Bnamericas Publicado: terça-feira, 08 novembro, 2022
Como a vitória de Lula pode impactar os desinvestimentos planejados da Petrobras

A Petrobras avançou com o desinvestimento de suas refinarias ao concluir a venda da unidade de industrialização de xisto SIX para a canadense Forbes & Manhattan (F&M) por US$ 41,6 milhões.

O destino de várias outras vendas de refinarias planejadas agora é incerto devido à recente vitória, no segundo turno presidencial, do ex-presidente de esquerda Luiz Inácio Lula da Silva, que já cumpriu dois mandatos (2003-2010).

Localizada em São Mateus do Sul, no Paraná, a SIX está entre as oito refinarias que a Petrobras colocou à venda e apenas a segunda a ter seu processo de desinvestimento concluído.

A primeira foi a Landulpho Alves (RLAM), na Bahia, comprada pela Mubadala por US$ 1,65 bilhão e agora operada pela subsidiária local do grupo Acelen, com sede em Abu Dhabi, sob o nome Mataripe.

Duas transações aguardam aprovações regulatórias: Isaac Sabbá (Reman), vendida para Atem Distribuidora por US$ 190 milhões, e Lubrificantes e Derivados do Nordeste (Lubnor), adquirida pela Grepar Participações por US$ 34 milhões.

As quatro restantes – Abreu e Lima (Rnest), Presidente Getúlio Vargas (Repar), Alberto Pasqualini (Refap) e Gabriel Passos (Regap) – podem ver licitações a caminho agora que as eleições presidenciais terminaram, mas o risco político ainda é um fator.

O presidente eleito Lula deve modificar a política de preços de combustíveis (PPI) da Petrobras, que no momento segue o preço internacional do petróleo e a taxa de câmbio.

A ideia de Lula é criar referências regionais que considerem os preços locais e o custo das importações. Tal plano poderia reduzir o apetite de players privados que estão acostumados aos preços de mercado.

Durante o governo do presidente Jair Bolsonaro – que manteve o mecanismo da PPI –, a Petrobras muitas vezes optou por congelar os preços dos combustíveis por pressão política. A empresa petrolífera justificou os congelamentos dizendo que queria evitar repassar o custo da volatilidade do mercado internacional aos consumidores.

Desde o início do mandato de Bolsonaro, em 2019, a Petrobras teve quatro CEOs, com demissões diretamente ligadas a aumentos de preços de combustíveis que o presidente não apoiou.

Caso não sejam assinados em breve contratos para as demais refinarias, seus processos de comercialização provavelmente serão suspensos pela nova administração, que pretende usar a Petrobras como instrumento de desenvolvimento econômico. Lula tomará posse em janeiro de 2023.

“Não houve discussão sobre o que já foi vendido, mas o que deve ser feito daqui para a frente. Não haverá política de recompra generalizada”, disse uma fonte com conhecimento do assunto, falando sob condição de anonimato, à BNamericas.

A mesma lógica vale para a participação da empresa petrolífera no grupo petroquímico Braskem e os desinvestimentos de midstream, segundo a fonte.

Nos últimos anos, a Petrobras vendeu as operadoras de gasodutos Nova Transportadora do Sudeste (NTS) e Transportadora Associada de Gás (TAG) para Brookfield /Itaúsa e Engie/ CDPQ por cerca de R$ 35 bilhões cada.

A empresa está atualmente em processo de venda da Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia-Brasil (TBG), que opera o gasoduto Bolívia-Brasil (Gasbol).

“A ideia é interromper os desinvestimentos na área de refino e gás natural da Petrobras”, disse a fonte.

Assine a plataforma de inteligência de negócios mais confiável da América Latina. Deixe-nos mostrar nossas soluções para Fornecedores, Empreiteiros, Operadores, Governo, Jurídico, Financeiro e Seguros.

Assine a plataforma de inteligência de negócios mais confiável da América Latina.

Outros projetos em: Óleo e Gás (Brasil)

Tenha informações cruciais sobre milhares de Óleo e Gás projetos na América Latina: em que etapas estão, capex, empresas relacionadas, contatos e mais.

  • Projeto: Bloco REC-T-35
  • Estágio atual: Borrado
  • Atualizado: 2 semanas atrás

Outras companhias em: Óleo e Gás (Brasil)

Tenha informações cruciais sobre milhares de Óleo e Gás companhias na América Latina: seus projetos, contatos, acionistas, notícias relacionadas e muito mais.

  • Companhia: Inpasa Agroindustrial S.A.  (Inpasa Brasil)
  • A descrição contida neste perfil foi extraída diretamente de uma fonte oficial e não foi editada ou modificada pelos pesquisadores da BNamericas, mas pode ter sido traduzida aut...
  • Companhia: Grupo Novonor  (Novonor)
  • A Novonor, anteriormente conhecida como Odebrecht, é uma holding brasileira com operações em 14 países, entre eles Argentina, Brasil, Colômbia, Equador, México, Panamá, Peru, Re...
  • Companhia: SMC Automação do Brasil Ltda.  (SMC Brasil)
  • A descrição contida neste perfil foi extraída diretamente de uma fonte oficial e não foi editada ou modificada pelos pesquisadores da BNamericas, mas pode ter sido traduzida aut...
  • Companhia: Consórcio Toyo Setal HDT Paulínia
  • O Consórcio Toyo Setal HDT Paulínia é uma empresa formada pela Toyo Setal Empreendimentos Ltda. e Toyo Engineering Corp., para a execução do projeto da Quarta Unidade de Hidrotr...